Deuteronômio

Devarim

Capítulo 32

1Escutai, céus, e falarei; E ouça a terra os ditos de minha boca.
2Gotejará como a chuva minha doutrina; Destilará como o orvalho meu discurso; Como o chuvisco sobre a grama, e como as gotas sobre a erva:
3Porque o nome do יהוה invocarei: Engrandecei a nosso Deus.
4Ele é a Rocha, cuja obra é perfeita, porque todos os seus caminhos são retidão: Deus de verdade, e nenhuma iniquidade nele: É justo e reto.
5A corrupção não é sua: a seus filhos a mancha deles, geração distorcida e perversa.
6Assim pagais ao יהוה, povo louco e ignorante? Não é ele teu pai que te possuiu? Ele te fez e te estabeleceu.
7Lembra-te dos tempos antigos; Considerai os anos de geração e geração: Pergunta a teu pai, que ele te declarará; A teus anciãos, e eles te dirão.
8Quando o Altíssimo fez herdar às nações, quando fez dividir os filhos dos homens, estabeleceu os termos dos povos Segundo o número dos filhos de Israel.
9Porque a parte do יהוה é seu povo; Ya'akov a medida de sua herança.
10Achou-o em terra de deserto, e em deserto horrível e ermo; Cercou-o, instruiu-o, guardou-o como a menina de seu olho.
11Como a água desperta sua ninhada, paira sobre seus passarinhos, estende suas asas, os toma, os leva sobre suas penas:
12O יהוה sozinho o guiou, que não houve com ele Deus alheio.
13Fê-lo subir sobre as alturas da terra, e comeu os frutos do campo, e fez que chupasse mel da rocha, e azeite da dura pederneira;
14Manteiga de vacas e leite de ovelhas, com gordura de cordeiros, e carneiros de Basã; também machos de bode, com o melhor do trigo, e sangue de uva bebeste, vinho puro.
15E engordou Jesurum, e deu coices: Engordaste-te, engrossaste-te, cobriste-te: E deixou ao Deus que lhe fez, e menosprezou a Rocha de sua salvação.
16Provocaram-lhe ciúmes com os deuses alheios; irritaram-lhe com abominações.
17Sacrificaram aos demônios, não a Deus; a deuses que não conheciam, a novos deuses vindos de perto, que não haviam temido vossos pais.
18Deixaste de pensar na Rocha que te criou; esqueceste-te de Deus teu criador.
19E o יהוה o viu, e acendeu-se em ira, pelo menosprezo de seus filhos e de suas filhas.
20E disse: Esconderei deles meu rosto, verei qual será seu fim: Que são geração de perversidades, filhos sem fidelidade.
21Eles me moveram ciúmes com o que não é Deus; Fizeram-me irar com suas vaidades: Eu também os moverei ciúmes com um povo que não é povo, com gente insensata os farei irar.
22Porque fogo se acenderá em meu furor, e arderá até o profundo; E devorará a terra e seus frutos, e abrasará os fundamentos dos montes.
23Eu trarei males sobre eles; Gastarei neles minhas flechas.
24Consumidos serão de fome, e comidos de febre ardente E de amarga pestilência; Dente de animais enviarei também sobre eles, com veneno de serpente da terra.
25De fora desolará a espada, e dentro das câmaras o espanto: Tanto ao rapaz como à virgem, ao que mama como o homem grisalho.
26Disse: Eu os dispersaria do mundo, faria cessar dentre os homens a memória deles,
27Se não temesse a ira do inimigo, não seja que se envaideçam seus adversários, não seja que digam: Nossa mão alta fez tudo isto, não o יהוה.
28Porque são gente de perdidos conselhos, e não há neles entendimento.
29Bom seria se fossem sábios, que compreendessem isto, e entendessem seu fim!
30Como poderia perseguir um a mil, e dois fariam fugir a dez mil, se sua Rocha não os houvesse vendido, e o יהוה não os houvesse entregue?
31Que a rocha deles não é como nossa Rocha: E nossos inimigos sejam disso juízes.
32Porque da vide de Sodoma é a vide deles, e dos sarmentos de Gomorra: As uvas deles são uvas venenosas, cachos muito amargos têm.
33Veneno de serpentes é seu vinho, e peçonha cruel de áspides.
34Não tenho eu isto guardado, selado em meus tesouros?
35Minha é a vingança e o pagamento, ao tempo que seu pé vacilará; Porque o dia de sua aflição está próximo, e o que lhes está preparado se apressa.
36Porque o יהוה julgará a seu povo, e por causa de seus servos se arrependerá, quando vir que a força pereceu, e que não há prisioneiro nem livre.
37E dirá: Onde estão seus deuses, a rocha em que se refugiavam;
38Que comiam a gordura de seus sacrifícios, bebiam o veio de suas libações? Levante-se, que vos ajudem e vos defendam.
39Vede agora que eu, eu sou, e não há deuses além de mim: Eu faço morrer, e eu faço viver: Eu firo, e eu curo: E não há quem possa livrar de minha mão.
40Quando eu erguer aos céus minha mão, e disser: Vivo eu para sempre,
41Se afiar minha reluzente espada, e minha mão arrebatar o juízo, Eu voltarei a vingança a meus inimigos, e darei o pagamento aos que me aborrecem.
42Embriagarei de sangue minhas flechas, e minha espada devorará carne: No sangue dos mortos e dos cativos, das cabeças, com vinganças de inimigo.
43Louvai, nações, a seu povo, porque ele vingará o sangue de seus servos, e fará voltar a vingança a seus inimigos, e expiará sua terra, a seu povo.
44E veio Moshê, e recitou todas as palavras deste cântico aos ouvidos do povo, ele, e Josué filho de Num.
45E acabou Moshê de recitar todas estas palavras a todo Israel;
46E disse-lhes: Ponde vosso coração a todas as palavras que eu vos declaro hoje, para que as mandeis a vossos filhos, e cuidem de praticar todas as palavras desta lei.
47Porque não vos é coisa vã, mas é vossa vida: e por elas fareis prolongar os dias sobre a terra, para possuir a qual passais o Jordão.
48E falou o יהוה a Moshê aquele mesmo dia, dizendo:
49Sobe a este monte de Abarim, ao monte Nebo, que está na terra de Moabe, que está em frente de Jericó, e olha a terra de Canaã, que eu dou por herança aos filhos de Israel;
50E morre no monte ao qual sobes, e sê reunido a teus povos; ao modo que morreu Arão teu irmão no monte de Hor, e foi reunido a seus povos:
51Porquanto transgredistes contra mim em meio dos filhos de Israel nas águas da briga de Cades, no deserto de Zim; porque não me santificastes em meio dos filhos de Israel.
52Verás, portanto, diante de ti a terra; mas não entrarás ali, à terra que dou aos filhos de Israel.
01020304050607080910111213141516171819202122232425262728293031323334